23 de janeiro de 2014

Marilyn e Arthur Miller

Marilyn casou-se com Arthur Miller em 1956 e ambos viveram juntos por cinco conturbados anos.  Segundo ele,  a primeira vez que viu Marilyn ele  achou-a a pessoa mais triste  e de coração inquieto do mundo. Miller alegou que  se apaixonou por M.M.  logo de imediato.
Para a diva ele era  a imagem do homem romântico e inteligente com que ela sempre sonhara, afinal havia o escritor havia ganhado o prêmio Pulitzer e ela se sentia amada e protegida e realizada ao lado de alguém tão importante. 

Quando Arthur Miller envolveu-se  em acusações de comunismo, Marilyn esteve ao seu lado apoiando-o. Nessa época,  ela já era uma estrela de fama internacional e de muita popularidade, o que ajudou bastante Miller. Monroe  foi muito corajosa, era um período perigoso, o país vivia o tenebroso Macartismo, onde vários cidadãos americanos foram presos ou marginalizados por defenderem idéias próximas ao socialismo. A carreira da estrela poderia muito bem ter sido de alguma forma chamuscada pelos problemas políticos do seu novo amor.

Miller já nesse momento percebeu  que sua união com Marilyn seria muito mais vantajosa para ele  do que para a diva. Esperto, o dramaturgo anunciou seu noivado com M.M  quando estava sendo interrogado pelo Comitê de Atividades Antiamericanas e só depois ligou para avisar Marilyn, que foi pega de surpresa pelos repórteres. 

A lua de Mel do casal se deu em Londres em meio aos preparativos para filmagem de O Príncipe Encantado O clima entre o casal não ficou nada bom quando Marilyn encontrou no meio das coisas de Miller  anotações feitas pelo mesmo nas quais ele afirmava que Monroe era uma fraude, uma piada, uma mulher bonita tentando ser lavada a sério e que ele envergonhava-se dela. A partir daí a coisa desandou e Marilyn passou a sentir-se insegura cada vez mais e ter crises de insônia  e consequentemente viciar-se em comprimidos.

Miller escreve uma obra que segundo ele seria um presente para Marilyn, o filme Os Desajustados, mas ela acaba ficando muito decepcionada com a personagem  chamada Roslyn com L.Y.N como Marilyn.  A personagem era uma espécie de musa, mas não uma pessoa pensante,  que tem suas próprias ideias. M.M leu o roteiro e pensou: “ Era para ser meu presente, e é isso que ele pensa de mim?”  Além disso,  Miller fez um modelo, uma copia da vida de Marilyn Monroe. Ele sugeria em certa cena que ela era uma piada...

A situação entre os dois ficou tensa e ele acabou mudando de trailer e ela passou a ficar muito deprimida e infeliz, passava dias  sem sair para filmar. Nos bastidores do filme Miller conheceu aquela que seria a sua nova esposa, a fotógrafa Inge Morath

Informações baseadas no documentário Love, Marilyn

20 de dezembro de 2013

MERRY CHRISTMAS

Apesar de achar as festas de final de ano deprimentes, uma coisa tenho que concordar, as datas comemoradas nessa época  possuem uma coleção de imagens vintage e retrô incomparáveis e aí não tem como não compartilhar. Para quem gosta, Feliz Natal!















16 de setembro de 2013

A Dura Vida de Doris Day

Bob Crosby e Doris Day 

Doris Day nasceu  Doris Mary Ann von Kappelhoff, filha de um maestro alemão rígido e moralista, que abandonou a família para fugir   com a amante(santa hipocrisia). A jovem sempre sonhou dançar como Ginger Rogers, treinou bastante e quando estava apta para correr o mundo em busca de seu sonho dourado sofreu um acidente de carro que lhe causou múltiplas fratura, uma delas exposta. Doris ficou um ano se recuperando e quando acreditava estar quase pronta para voltar a andar, caiu de sua muleta e fraturou tudo novamente... mais uma ano de molho. Aí Doris, descobriu o gosto pela música ouvindo Ella Fitzgerald. A jovem foi estudar canto e começou a se apresentar em uma rádio local. O Produtor do programa mudou seu nome para Doris Day e um belo dia a mocinha foi  ouvida por Boby Crosby, irmão de Bing Crosby. Bob a levou para Chicago e lá ela começou sua carreira de crooners do swing. Já em Chicago Doris entrou para a banda Les Brawn, e logo  conheceu seu primeiro marido o trompetista  Al Jorden. Os amigos da garota lhe avisaram que o cara era psicopata,
 George  Weidler
 ciumento e paranoico, mas Doris caiu de amores pelo rapaz. Aos dezessete anos casou-se com Jorden.  Já nos primeiros dois meses de casada tomava surras faraônicas e quase perdeu seu bebe (
Terry). Al Jorden depois de cada surra que dava na esposa  cai de choro aos seus pés pedindo perdão, e ela perdoava é claro (burra). Depois de tanto sofre nas mãos tiranas de Jorden, Doris conseguiu o divorcio, mas ele a perseguia e ameaçava seu filho.
As coisas só melhoraram com Al morreu num acidente de carro, caiu num despenhadeiro (alívio para ela e para o filho). Com a morte do marido maluco Doris pode voltar para Les Brown orquestra , em 1945 gravou seu primeiro grande sucesso que tornou-se uma especia de hino dos soldados americanos que voltavam da Guerra. Feliz Doris cai em outra burrada, se casou  com saxofonista
George Weidler e abandou a banda novamente, queria se dona de casa,(pode?) porém, com oito meses de casados Weidler pediu divorcio, não queria ser o "Mr. Doris Day".Doris continuo na vida sofrida 
crooners e quando estava preste a desistir da carreira  de cantora foi levada por dois amigos para um teste Warner. De cara Doris conseguiu um papel para o filme Romance em Alto-Mar  e seu nome já surgia   entre os quatro primeiros nos cartazes. Ao contrario do

que todos imaginam,  Doris fez filmes polêmicos, 
Exito Fulgaz foi um deles. Até antes de seu terceiro casamento Doris era o símbolo sexual do cinema, aparecia em filmes com roupas provocantes e combinações sugestivas. No filme  Ama-me ou Esquece-me os homens a desejavam.   A imagem da eterna virgem e puritana  foi construída pelo seu terceiro marido 
Marty Melcher , um idiota metido a empresário juntamente com seu amigo Jerry Rosenthal que dilapidaram  toda a fortuna de Doris.  Melcher fez  péssimas escolhas para esposa, filmes que acabaram por transforma-la na eterna virgem do cinema. Foi capaz inclusive de não deixa-la aceitar o papel de Sra. Robinson no filme A Primeira Noite de Um Homem .   Quando o caça dotes do Melcher morreu, Doris Day descobriu  que o fruto de 30
Rock e Doris
anos de seu trabalho havia sido lapidado e que ela ainda devia 1 milhão de dólares de adiantamento que o finado marido fez as suas custas, quantia assustadora em 1968. 
 Doris teve que trabalhar em seriados de TV e para piorar o nome de seu filho,  Terry, estava envolvido com o da  tragédia cometida por Charles Manson (explico depois em outra postagem). Terry deprimido com todo problema que o massacre cometido por Manson o causara,  começou a se drogar e beber muito e um dia acabou sofrendo um grave acidente e quase morreu.
Doris entrou na justiça contra o comparsa de seu ex marido e recebeu uma indenização de 22 milhões de dólares, mas sua carreira estava destruída pela imagem da eterna virgem criada pelos filmes escolhidos pelo ex como por exemplo 
Confidencias a Meia Noite, onde seu par romântico era Rock Hudson  e o personagem vivido por Doris era uma puritana convicta. (eu acho esse filme uma gracinha)Na década de 60 inicia-se a campanha contra Doris, ela representava o oposto que o mundo vivia, com muita classe e elegância Doris Day se retirou da mídia e passou a viver uma vida mais reclusa. 

 Texto baseado no livro de  Ruy Castro - Saudade do Século 20

11 de setembro de 2013

Marilyn - Red

Uma das mulheres mais fotografadas do mundo Marilyn Monroe é dona também de um número imenso de biografas, que vão desde obras fantasiosas criando o imaginário da mulher perfeita até obras realistas que despem a verdade nua e crua da diva platinada, a moça famosa que só queria ser feliz. Abaixo série de imagens da deusa vestida de vermelho. 






















6 de setembro de 2013

Jovens Rebeldes Sem Causa...MORTOS

Chegando em casa depois de um ensaio em 12 de fevereiro de 1976, Sal Mineo foi assassinado a facadas no beco atrás de seu apartamento em West Hollywood, Califórnia. Ele tinha 37 anos. Mineo foi esfaqueado apenas uma vez, não repetidamente como relatada pela primeira vez, mas a lâmina da faca atingiu seu coração, levando à imediata e fatal hemorragia interna.
Natalie Wood morreu afogada em 1981 com apenas 43 anos em um acidente misterioso enquanto navegava em um iate com o marido Robert Wagner e com o amigo Christopher Walken. A morte da atriz voltou a ser muito comentada depois que um relatório elaborado pelo Instituto Médico-Legal de Los Angeles em 2011, deixou questões pendentes sobre o papel de Robert Wagner, marido de Wood, e de Christopher Walken. No relatório consta que a noite em que a atriz morreu foi regada por muita bebida e que o corpo de Natalie possuía hematomas e arranhões no braço, punho e pescoço, e que ela provavelmente sofreu os ferimentos antes de cair no mar, onde se afogou. O novo laudo da morte de Wood Consta: "causa de morte indeterminada".O caso da morte de Natalie Wood voltou à tona após o capitão do iate "Splendour", Dennis Davern, escrever um livro no qual afirma que Wagner discutiu com a mulher antes de seu desaparecimento, e que retardou as buscas após a descoberta do sumiço da atriz
Em 30 de setembro de 1955, James Dean  foi morto quando o Porsche 550 Spyder prata que ele chamava de Little Bastard (Pequeno Bastardo) foi atingido por um veículo que vinha na direção o acidente provocou a partida  imediatamente de sua coluna vertebral e  hemorragias internas. No dia em que morreu, James Dean ainda esgotava ingressos com o seu primeiro filme. A consagração final chegou poucos dias após a sua morte, quando Juventude transviada chegou aos cinemas. Recebeu duas indicações ao Oscar, postumamente. Em 1956, por Vidas Amargas (a primeira indicação póstuma na história da premiação), e em 1957, por Assim Caminha a Humanidade, ambas por melhor ator. Ganhou dois prêmios do Globo de Ouro, em 1956 como melhor ator e, no ano seguinte, num prêmio especial que o consagrou como ator favorito do público.

28 de agosto de 2013

Cary Grant, Um Cavalheiro Pouco Sofisticado


Cary Grant nasceu Archibald Alexander Leach, em uma família inglesa bem humilde, o ar elegância foi adquirindo com o tempo.  
Filho de pais judeus logo foi circuncidado e por mais estranho que possa parecer sua mãe o vestia como menina...

Bem novinho ingressou ao mundo do entretenimento, um dia foi assistir a um espetáculo de pantomima e  o dono do circo precisando de outro garoto para dar continuidade ao espetáculo pediu ao pai de Grant que ele   deixasse que  filho entrasse para trupe. De imediato o pai do ator passou a guarda de Grant para um desconhecido e ele começou a rodar o mundo e conhecer os bastidores nada saudáveis para um garoto de apenas sete. Quando a turnê do grupo encerrou Grant voltou para a casa,  expulso da escola  Cary Grant foi correr o mundo em busca do tão sonhado sucesso.  Para sobreviver Grant ‘trabalhava’ com o que aparecia, entre outras coisas foi michê de madames, mas, não descartava sua preferência por homens.
Com a chegada do cinema falado Cary Grant teve sua oportunidade, a indústria do cinema  procurava artistas com sotaque inglês, (soava melhor aos ouvidos do público).  Seu nome complicado (Archibald Alexander Leach ) foi  trocado e depois de um certo tempo lá estava ele nas telonas.
Grant conheceu Randolph Scott durante um almoço no estúdio, protegido e segundo se sabia, amante do milionário  Howard Hughes( O Avidor famoso ). A atração foi imediata e recíproca. Scott se mudou em seguida para o apartamento de Grant.

A Fama do casal incomodava os estúdios e Grant foi colocado para contracenar com Marlene Dietrich em A Vênus Loira, mas Grant continuou firme sua historia com Scott. Porém suas preferências sexuais oscilavam...    
A Primeira esposa de Cary Grant foi Virginia Cherrill, quando o casal se conheceu a moça logo caiu de encantos pelo galante rapaz inglês de cabelos negros. Na época Virginia havia sido assediada por Chaplin, mas a moça preferiu investir em Grant mesmo sabendo que existiam boatos sobre a sexualidade do astro. Grant era muito ciumento e chegou a contratar um detetive para seguir Virginia. Depois de casados não foram poucos os tabefes  que Virginia Cherril  levou, a violência física era tamanha que ela acabou por pedir divórcio e o astro tentou suicídio ingerindo pílulas. Mas, tudo bem, ele logo se consolou com o grande amor de sua vida,  Randolf ScottQuando Scott fez O Último dos Moicanos, comprou uma casa na praia em Santa Mônica  e Grant Mudou-se para lá. Num Baile de máscaras, os dois apareceram  com fantasias idênticas de acrobatas e logo surgiu rumores... Revistas estampavam  fotos deles juntos na piscina, jogando bola, fazendo tarefas domésticas. Os chefes  dos estúdios não gostavam nadinha de ver seus dois grandes galãs em fotos tão íntimas e que insinuava muito mais que uma amizade,  ai os chefões  dos estúdios logo correram para espalhar a história de que os rapazes viviam  juntos  por questões econômicas, ou seja, diminuir as despesas. Mas todos na época sabiam que o cachê de ambos já era bem gordo. A desaprovação dos  estúdio não os abalava e numa noite de calor foram pegos se abraçando e se beijando num estacionamento. 
Pouco antes da Segunda Guerra Cary Grant ficou noiva de Phyllis Brooks. Ela ignorou os avisos sobre a preferencia sexual de Grant   e caiu de amores pelo astro sedutor. Os dois assinaram um contrato nupcial maluco, que proibia a sogra de Grant de frequentar sua casa. Quando a futura sogra leu o tal documento caiu em pranto por dias e o casamento terminou antes mesmo de acontecer. 
Só que mais escândalos estavam por vir. Quando Grant e Scott foram filmar Minha Esposa Predileta a história do romance dos rapazes se consolidou. No hotel em que ficariam hospedados durante as gravações do filmes os dois instalaram-se no mesmo quarto, deixando todo mundo de boca aberta. 
Grant foi apresentado a Barbara Hutton, (terceira mulher mais rica do mundo na época),  pela esposa de Gary Cooper, a moça  havia se divorciada  duas vezes e se interessou por Grant recusando as investidas de Sinatra.  Logo o casal  resolveu ficar noivo, mas,  Cary Grant foi servir a pátria na Segunda Guerra e protelou o máximo possível seu casamento com Bárbara. Esperta, a moça pegou um avião para Nova York  e enfiou-se na cama de Grant alegando estar 'doente'. Randolph  Scott muito triste com o noivado de seu amado retirou-se de cena com muita elegância e foi curar sua tristeza em sua casa na Virginia. 
Em julho de 1948 Grant se casa com Bárbara e segundo os amigos da moça o casamento nunca se consumou .
A relação do casal não era perfeita como muitos dizem, segundo livros,  Grant foi pego em flagrante com um marinheiro num banheiro publico...O casamento continuo aos trancos e barrancos. Numa festa de gala para o Exército e Aeronáutica em Hollywood  Cary Grant apareceu vestindo o vestido de Noiva de Bárbara e para piorar exibiu-se de drag queen num show comandando por Orson Welles. Claro que o casamento desintegrou-se e o divisório foi inevitável. 
Mais uma vez Grant se casa, dessa vez com a atriz Betsy Drake, uma mulher com quem pouco tinha em comum. Ela era metódica e organizada ele um bagunceiro. Ela leitora ávida , ele mal sabia o que era um livro. 
Mas a cultura dela o impressionava e aos poucos  ele se acostumou a ler. Não tiveram lua de mel e muito menos filhos e ele passou a beber muito. Disfarçava a bebida nos estúdios  colocando-as em xícara e fingia ingerir chá. 
Ainda casado com Betsy Cary Grant iniciá as filmagens de O Orgulho e Paixão com Sophia Loren. Grant na época sofreu nas mãos de Sinatra que debochava com sarcasmos sobre a homossexualidade de Grant e tudo isso por ciumes. Ambos disputavam Sophia e ela preferiu Grant... 
Sophia Loren então iniciou um romance com Grant que achava que somente ela poderia afirma-lo como hétero. Grant se colocou aos pés de Sophia deixando Betsy arrasada. Mas no final desse confuso romance Sophia deixou Grant por Carlo Ponti. Grant Chegou a contratar detetives pra verificar o grau de felicidade de Sophia, infelizmente constatou que era total. Desesperado refugiou-se  em LSD. apesar de tudo ele e Betsy permaneceram juntos até 1961. 
Próxima obsessão de Grant,  Dyan Cannon. A moça logo de cara não demostrou muito entusiamos pelo galã mas um dia cedeu e eles começaram um romance. Ele a modificou da cabeça aos pés, era como se criasse uma mulher especialmente para ele, até LSD ela passou usar por 'ordens dele'. Ele viva  com Dyan e era casado com Betsy. 
Em 1962 separou-se de Betsy e passou a torturar Dyan, surras frequentes,   ciume total e absoluto e proibições passaram fazer parte do cotidiano da moça e pioraram depois que ela teve uma filha de Grant. Desesperada Dyan fugiu e em 1967 pediu divorcio alegando crueldade mental. 
Grant continuou a tentar afirmar sua masculinidade, teve um caso com uma jornalista, manteve 'contato" com Grace Kelly desde Ladrão de Casaca...masssssssssss continuou a ver Randolph Soctt que era feliz no casamento.
Por fim casou-se com Barbara Horris, na época com vinte e poucos. Cinco anos depois porém (1986), Cary Grant veio a falecer, mas não deixou de avisar a família antes de morrer que coisas horríveis iriam dizer sobre ele quando não estivesse mais aqui. 'Esperem o pior sobre mim' ele sabia o que viria da mídia. 



Todas as informações foram baseadas no A Vida Sexual dos Ídolos de Hollywood
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...